ACOMPANHAMENTO DA PARTICIPAÇÃO DOCENTE NO PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DO PROGRAMA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO RIO DE JANEIRO (PROMEA/RJ)

Eduardo da Costa Pinto d'Ávila

Resumo


Este artigo apresenta resultados parciais de pesquisa que trata das disputas no processo de formulação da Política Municipal de Educação Ambiental (PMEA) no Rio de Janeiro. O objetivo do trabalho é acompanhar e avaliar a participação dos professores no processo de construção do Programa Municipal de Educação Ambiental (PROMEA/RJ) do Rio de Janeiro, de acordo com o que está previsto na PMEA/RJ.  Este programa está em processo de construção por meio de “workshops participativos” – uma metodologia específica formulada e elaborada por uma empresa em parceria com a prefeitura do Rio de Janeiro. O quadro teórico-metodológico adotado foi o materialismo histórico dialético, utilizando autores afinados com a teoria de Estado de Gramsci, mobilizando o conceito de sociedade civil. A metodologia de pesquisa adotada envolveu análise de conteúdo de documentos sobre o PROMEA/RJ e entrevista com gestor da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMAC/RJ) e duas coordenadoras da Secretaria Municipal de Educação (SME/RJ). A título de conclusão, o artigo aponta que a participação docente no processo de construção do PROMEA/RJ é insatisfatória e indica a necessidade de se intensificar as investigações sobre os desdobramentos desse processo. Além disso, indica o fortalecimento da tese de proletarização e desprofissionalização da carreira docente em curso.

Palavras-Chave: Educação Ambiental; Participação Docente; Parceria Público-Privada.


Palavras-chave


Educação Ambiental; Participação Docente; Parceria Público-Privada.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Lei n. 10.172, de 9 de janeiro de 2001. Aprova o Plano Nacional de Educação e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, 2001. Diaponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/leis_2001/l10172.htm , acesso em: 31/05/2017

BRASIL. Decreto-lei n. 9795, de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a Educação Ambiental e institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, 1999. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9795.htm , acesso em: 31/05/2017

_______. A implantação da educação ambiental no Brasil Coordenação de Educação Ambiental do Ministério da Educação e do Desporto, Brasília - DF, 1998.

BRESSER PEREIRA, Luiz Carlos; GRAU, Nuria Cunill. Entre o Estado e o mercado: o público não-estatal. In: ______. (Org.). O público não-estatal na reforma do Estado. Rio de Janeiro: Editora. Fundação Getúlio Vargas, 1999, p. 15-48.

_______. “Os primeiros passos da reforma gerencial do Estado de 1995”. Revista Brasileira de Direito Público, Belo Horizonte, ano 6, n. 23, p. 145-186, out./dez. 2008.

_______. “Estratégia e estrutura para um novo Estado”. Revista de Economia Política, vol.17, nº 03 (67) julho-setembro/1997.

CARVALHO, I. A questão ambiental e a emergência de um campo de ação político-pedagógica. In: LOUREIRO Carlos Frederico; LAYRARGUES, Philippe Pomier; CASTRO, Ronaldo Souza de (Orgs.). Sociedade e Ambiente a educação ambiental em debate. 7º Edição. São Paulo Cortez 2012.

DAVILA, E. C. P. A socialização da política em conselhos: um estudo de caso através da entrada do sindicato estadual dos profissionais de educação (SEPE-RJ) no grupo interdisicplinar de educação ambiental (GIEA-RJ). Rio de Janeiro: 2013. Dissertação [Mestrado em Educação] – Programa de Pós-Graduação em Educação da UFRJ.

DUARTE, J. O enfrentamento da questão social na contemporaneidade: a funcionalidade das ongs. Jornada Internacional de Políticas Públicas, III, São Luís/MA, 28 a 30 de agosto 2007. Anais... São Luis: UFMA, 2007.

FONTES, V. O Brasil e o capital imperialismo: teoria e história. 2. ed. Rio de Janeiro: EPSJV/Editora UFRJ, 2010.

COUTINHO, Carlos Nelson (org.). O leitor de Gramsci. Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2011.

LAYRARGUES, P. A conjuntura da institucionalização da Política Nacional de Educação Ambiental. OLAM: Ciência & Tecnologia, ano II, volume 2, número 1. Abril de 2002. [Formato Eletrônico: CD-ROM] 2002

_______. “Educação Ambiental no Brasil: o que mudou nos vinte anos entre Rio 92 e a Rio +20?”. In: http://www.ecodebate.com.br/2012/03/21/educacao-ambiental-no-brasil-o-que-mudou-nos-vinte-anos-entre-a-rio-92-e-a-rio20-artigo-de-philippe-pomier-layrargues/. 2012.

_______; LIMA, G.; Mapeando macro-tendências político pedagógicas da educação ambiental contemporânea do Brasil. In: Encontro “Pesquisa em Educação Ambiental” A Pesquisa em Educação Ambiental e a Pós-Graduação no Brasil. VI, Ribeirão Preto, setembro de 2011. Anais... Ribeirão Preto (SP): USP, 2011.

LEHER, Robeto. Desafios para uma educação além do capital. In: JINKINGS, Ivana; NOBILE; Rodrigo (Orgs.). István Mészáros e os desafios do tempo histórico. São Paulo: Ed. Boitempo, 2011.

LOUREIRO, C. Contribuições teóricas para pensar a prática da educação ambiental em uma perspectiva crítica-transformadora in Educação Ambiental e Serviço Social: O PEAC e o Licenciamento na Gestão Pública do Meio Ambiente. ARAÚJO, Nailsa Maria Souza; SANTOS, Josiane Soares, SILVA, Maria das Graças e. Aracaju: UFS, 2013.

_______. Teoria Social e Questão Ambiental: pressupostos para uma práxis crítica em educação ambiental.In: (orgs.). LOUREIRO, Carlos Frederico; LAYRARGUES, Philippe Pomier; CASTRO, Ronaldo Souza de. Sociedade e Ambiente a educação ambiental em debate. 7º Edição. São Paulo: Cortez, 2012.

OLIVEIRA, D. A reestruturação do trabalho docente: precarização e flexibilização. Educação e Sociedade, Campinas, vol. 25, n. 89, p.1127-1144, Set./Dez. 2004

RIO DE JANEIRO. SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DO RIO DE JANEIRO. Gerência de projeto de extensão curricular. Rio de Janeiro: [2017?] Disponível em: http://extensividade.wix.com/sme-rj-extensividade , Acesso em: 31/05/2017

_______. Secretaria Municipal de Educação. Rio de Janeiro: 2017. Disponível em: http://www.rio.rj.gov.br/web/sme/ , acesso 02/08/2017.

RIO DE JANEIRO. SECRETARIA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE. Inventário Florestal da Cobertura Arbórea do Município do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: 2017. Disponível em: http://www.rio.rj.gov.br/web/smac , acesso em 02/08/2017.

_______. Corredor Verde. Rio de Janeiro: 2017. Disponível em: http://www.rio.rj.gov.br/web/smac , acesso 02/08/2017.

TREIN, E. A perspectiva crítica e emancipatória da educação ambiental. Educação Ambiental no Brasil - Salto para o futuro, Ano XVIII, boletim 01, Março de 2008, Secretaria de Educação a Distância, Ministério da Educação.

VIDA DE PROFESSOR. Resposta ao texto de Paulo Ferraz: “A Educação do Rio de Janeiro sob ataque”. Rio de Janeiro: 2013. Disponível em: https://profcarlosazevedo.wordpress.com/tag/paulo-ferraz-claudia-costin-qualidade-de-ensino/ , acesso em: 31/05/2017




DOI: http://dx.doi.org/10.29404/rtps-v2i2.3334

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Grupo de Pesquisas Sobre Trabalho, Política e Sociedade (GTPS)

Rua Savero José Bruno, S/N – Moquetá – Nova Iguaçu – RJ – CEP: 26285-021
URL:  http://trabalhopoliticaesociedade.blogspot.com.br/ 
E-mail: rtps@ufrrj.br