A CATEGORIA PEDAGÓGICA DO TRABALHO SOCIALMENTE NECESSÁRIO NAS ESCOLAS ITINERANTES DO MST PARANÁ

Valter de Jesus Leite

Resumo


Este artigo discorre acerca da gênese e do percurso histórico das Escolas Itinerantes do MST/Paraná, uma iniciativa do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) na luta pelo o acesso à educação escolar como forma de resistência nas ocupações de terra. Nesta interface trata da concepção de trabalho como princípio educativo nos complexos de estudo e avança para a compreensão do trabalho socialmente necessário como categoria pedagógica no trabalho educativo das Escolas Itinerantes do MST/Paraná. Tais ensaios expressam a articulação do acesso ao conhecimento sistematizado com as estratégias políticas do MST na construção da reforma agrária popular (aproximação com a agroecologia, das lutas sociais, relação com outras organizações de trabalhadores), por entender que o acesso das novas gerações à ciência e à arte é condição imprescindível para que possam aprimorar os processos de trabalhar, de viver, de lutar e de construir coletivamente germes da sociedade socialista.

Palavras-chave: Trabalho e Educação – Educação do Campo – Escola Itinerante – trabalho socialmente necessário.


Palavras-chave


Trabalho e Educação; Educação do Campo; Escola Itinerante; trabalho socialmente necessário.

Texto completo:

PDF

Referências


ACAP. Associação de Cooperação Agrícola e Reforma Agrária do Paraná. Relatório Anual da Escola Itinerante 2012. Curitiba, 2012. (mimeo).

ARL, Valdemar. Desafios para uma metodologia transformadora na transição agroecológica: uma experiência de construção social do conhecimento de entidades de ATER no Paraná. Universidad de Córdoba. 2016. [tese]

BAHNIUK, Caroline. Educação, trabalho e emancipação humana: um estudo sobre as escolas itinerantes dos acampamentos do MST. 2008. Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2008. 180p [dissertação]

CALDART, Roseli. Salete. Escolas do Campo e Agroecologia: uma agenda de trabalho com a vida e pela vida. Veranopolis – RS, 2016. (mimeo)

_______. O desafio de fazer a Escola enquanto se luta: Escola Itinerante - 15 anos. Nov./2011 (mimeo).

Escola Itinerante Caminhos do Saber. Relatório Anual da Escola Itinerante Caminhos do Saber, 2016. Ortigueira, Paraná. (mimeo)

Escola Itinerante Carlos Marighella. Relatório Anual da Escola Itinerante Carlos Marighella, 2016. Carlopolis, Paraná, 2016.

Escola Itinerante Herdeiros da Luta Porecatu. Relatório Anual da Escola Itinerante Herdeiros da Luta de Porecatu, 2016. Porecatu, Paraná, 2016. (mimeografado)

Escola Itinerante Herdeiros Saber. Relatório Anual da Escola Itinerante Herdeiros do Saber, 2016. Rio Bonito Iguaçu – Paraná, 2016. (mimeografado)

Escola Itinerante Paulo Freire. Relatório anual da Escola itinerante Paulo Freire, Paula Freitas – Paraná, 2016. (mimeografado)

Escola Itinerante Semeando Saber. Relatório Anual da Escola Itinerante Semeando Saber, 2016. Florestópolis – Paraná, 2016. (mimeografado)

Escola Itinerante Vagner Lopes. Relatório Anual da Escola Itinerante Vagner Lopes, 2016. Quedas do Iguaçu – Paraná, 2016. (mimeografado)

Escola Itinerante Valmir Motta Oliveira. Relatório Anual da Escola itinerante Valmir Motta de Oliveira, 2016. Jacarezinho – Paraná, 2016. (mimeografado)

FARIAS, Alcione. Nunes. A trajetória de resistência da Escola Itinerante Ernesto Che Guevara. In:. Itinerante: a Escola dos sem-terra: trajetórias e significados. Curitiba, n° 2, out. 2008.

FILIPAK, Alexandra. “A nossa escola, ela vem do coração” Política Pública de Educação do Campo nas Histórias de Vida de Educadores e Educadoras da Escola Itinerante Caminhos do Saber, Ortigueira, PR. UEPG, Ponta Grossa, 2009. [Dissertação]

IEJC. Instituto de Educação Josué de Castro. Seminário sobre formas de organização do Plano de Estudos, Educação Politécnica e Agricultura Camponesa. In: CALDART, R, STEDILE, M. E., DAROS, D. (orgs.). Caminhos para a transformação da Escola 2: Agricultura Camponesa, educação politécnica e escolas do campo Reflexões desde práticas da Licenciatura em Educação do Campo.1ºed. São Paulo: Expressão Popular, 2015

MST. Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra. Dossiê MST Escola: documentos e estudos 1990-2001. Veranópolis – RS: ITERRA, 2005.

_______. Escola Itinerante do MST: História, Projeto e Experiências. Cadernos da Escola Itinerante – MST. Ano VIII, nº 1, Abril, 2008.

_______. Escola Itinerante Terra e Vida. Jornal Sem Terra, Julho de 1999.

_______. Memória dos encontros dos Complexos de Estudos (2010-2015). 2015. (mimeo).

_______. Programa Agrário do MST. 3º edição – Setembro, São Paulo – SP, 2014.

_______. Plano de Estudos da Escola Itinerante. Cascavel: Edunioste, 2013.

PISTRAK, Moisey. Fundamento da escola do trabalho. 1. ed. São Paulo: Expressão Popular, 2000.

_______. A Escola Comuna. São Paulo: Expressão Popular, 2009

SAPELLI, Marlene. Lucia. Siebert. Escola do campo – espaço de disputa e de contradição: analise da proposta pedagógica das escolas itinerantes do Paraná e do Colégio Imperatriz Dona Leopoldina. Florianópolis, SC: UFSC, 2013. [Tese doutorado].

SHULGIN, Viktor. Rumo ao politecnismo. São Paulo: Expressão Popular, 2013.

SILVA, Janaine. Zedebiski. O trabalho como princípio educativo nas escolas itinerantes do MST no Paraná. UNIOESTE, Cascavel, 2013. (dissertação).




DOI: http://dx.doi.org/10.29404/rtps-v3i4.3628

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Grupo de Pesquisas Sobre Trabalho, Política e Sociedade (GTPS)

Rua Savero José Bruno, S/N – Moquetá – Nova Iguaçu – RJ – CEP: 26285-021
URL:  http://trabalhopoliticaesociedade.blogspot.com.br/ 
E-mail: rtps@ufrrj.br