A IDENTIDADE SOCIAL DO PROJOVEM TRABALHADOR: uma análise da experiência do Programa no município de Maceió (2008-2011)

Mauriza Antônia da Silva Cabral, Georgia Sobreira dos Santos Cêa, Sandra Regina Paz da Silva

Resumo


O artigo apresenta análises sobre a identidade social do ProJovem Trabalhador no município de Maceió, em Alagoas, no período compreendido entre 2008 e 2011, com base em um estudo de caso. Objetiva-se compreender a identidade social do Programa, a partir da análise da ação das entidades executoras e de depoimentos de sujeitos jovens cursistas, professores/instrutores e coordenadores pedagógicos. O estudo evidenciou diferentes fundamentos e mecanismos do ProJovem Trabalhador voltados para atenuar riscos sociais e, ao mesmo tempo, capacitar jovens para o atendimento de exigências colocadas pelas mudanças no mundo do trabalho. Dessa forma, o estudo de caso afirmou a identidade social do ProJovem Trabalhador como uma política focal e compensatória, que serve para amenizar a pobreza e aliviar possíveis tensões conflituosas, acomodando e conformando um determinado projeto de formação profissional da juventude na contemporaneidade.

Palavras-chave: Projovem Trabalhador – Educação Profissional – Juventude.


Palavras-chave


Projovem Trabalhador; Educação profissional; Juventude

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Ministério do Trabalho e Emprego. Aprova Termo de Referência e estabelece os critérios e as normas de transferência automática de recursos financeiros a Estados, a Municípios e ao Distrito Federal, relativos ao Projovem Trabalhador – Juventude Cidadã. Portaria nº 991, de 27 de novembro de 2008. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 28 de nov. 2008d. Disponível em: Acesso em: 27 dez. 2013.

BRASIL. Nota Técnica nº 02/2012 do MEC/SECADI / PROJOVEM URBANO. Equipe de Transição do ProJovem Urbano para o MEC. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão SECADI/MEC. Brasília, 19 de janeiro de 2012. Disponível em: Acesso em 20 dez. 2013.

BRASIL. Plano Diretor da Reforma do Aparelho do Estado. Presidência da República Câmara da Reforma do Estado. Ministério da Administração Federal e Reforma do Estado. Brasília, 1995. . Acesso em 03 nov. 2014.

CÊA, Georgia S. S. A qualificação profissional como instrumento de regulação social: do PLANFOR ao PNQ. In: ______. (Org.). O estado da arte da formação do trabalhador no Brasil: pressupostos e ações governamentais a partir dos anos 1990. Cascavel: Edunioeste, 2007, p. 187-226.

DIEESE. Anuário do Sistema Público de Emprego, Trabalho e Renda 2010/2011: juventude. 3. ed. São Paulo: DIEESE, 2011. Disponível em: < http://portal.mte.gov.br/data/files/8A7C816A333FE61F013341784DA03918/juventude.pdf>. Acesso em: 23 jul. 2013.

MÉSZÁROS, Istvan. Para além do capital: rumo à teoria da transição. São Paulo: Boitempo, 2002.

NEVES, Lúcia. M. W. (Org.). A nova pedagogia da hegemonia: estratégias do capital para educar o consenso. São Paulo: Xamã, 2005.

NOVAES, Regina Célia Reyes et al. (Org.). Política Nacional de Juventude: diretrizes e perspectivas. São Paulo: Conselho Nacional de Juventude: Fundação Friedrich Ebert, 2006. Disponível em: < http://library.fes.de/pdf-files/bueros/brasilien/05611.pdf>. Acesso em: 2 out. 2009.

ROBERTSON, Susan; VERGER, Antoni. A origem das parcerias público-privada na governança da educação mundial. Educação e Sociedade, v. 33, n. 121, p. 1133-1156, 2012. Disponível em: . Acesso em: 05 nov. 2013.

SOUZA, José dos Santos. Estágio supervisionado ou experiência de trabalho precário?. Blog do Grupo de Pesquisas sobre Trabalho, Política e Sociedade (GTPS). Nova Iguaçu (RJ): GTPS, 23 de maio de 2014. Disponível em: . Acesso em: 13 fev. 2015.




DOI: http://dx.doi.org/10.29404/rtps-v2i3.3720

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Grupo de Pesquisas Sobre Trabalho, Política e Sociedade (GTPS)

Rua Savero José Bruno, S/N – Moquetá – Nova Iguaçu – RJ – CEP: 26285-021
URL:  http://trabalhopoliticaesociedade.blogspot.com.br/ 
E-mail: rtps@ufrrj.br