LEP-Ambientes          

Laboratório de Ecologia de Peixes

                          
Ambientes Costeiros
A região costeira do Estado do Rio de Janeiro apresenta uma rica comunidade de peixes que é potencialmente ampliado pela heterogeneidade de habitats que ocorrem ao longo da costa fluminense. A maioria das grandes metrópoles foram construídas as margens de baías e estuários, acarretando enorme perda de integridade para os ambientes aquáticos onde se inserem e constante monitoramento. O estado do Rio de Janeiro apresenta três grandes sistemas de Baías (Baía de Ilha Grande, Baía de Sepetiba e Baía de Guanabara), aonde são desenvolvidas linha de pesquisa pelo laboratório
 

 Baia da Guanabara  -  Baia de Ilha Grande  -   Baia de Sepetiba

Caracterização da àrea de Estudo

baia de sepetibaA baía da Ilha Grande possui 1124,4km2 e localiza-se entre o extremo oeste da restinga da Marambaia (23o04´36S; 44o01´18W) e a ponta da Joatinga (23o17´36S; 44o30´06W). Apresenta um complexo de 365 ilhas e consiste de dois corpos d’água separados por uma constrição formada entre o continente e a Ilha Grande  sendo a maior do Estado do Rio de Janeiro, compreendendo ecossistemas estuarinos, oceânico e de costão rochoso. Sua bacia hidrográfica com 1740 Km2 é marcada pela biodiversidade natural devido à proximidade da Serra do Mar, onde a Mata Atlântica encontra-se bastante preservada. O Laboratório de Ecologia de Peixes vem desenvolvendo pesquisas com destaque para a área costeira da Baía.

Atuação da UFRRJ através do LEP na Baía da Ilha Grande


O laboratório de ecologia de peixes da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro vem desenvolvendo desde 2001, pesquisas ecológicas, através da amostragem da comunidade de peixes (censo visual e arrasto de praia) e tomadas de parâmetros ambientais, visando o diagnóstico, monitoramento e descrição da ecologia da área costeira visando fornecer as bases para o controle da qualidade ambiental e a conservação dos recursos naturais

Objetivos Específicos

  • Descrever e comparar a composição, estrutura, dinâmica e diversidade da comunidade de peixes, seus padrões espaciais, sazonais e interanuais.
  • Abordar as configurações estruturais formadas a partir de como os componentes da comunidade de peixes se relacionam entre si e com o ambiente.
  • Estudar a ecologia dos grupos de peixes de importância comercial e ecológica.

Equipe Executora
Prof. Dr. Francisco Gerson Araújo (Coordenador do projeto)
Leonardo Mitrano Neves (Doutorando em Biologia Animal)
Tatiana Pires Teixeira (Doutoranda em Biologia Animal)
Taynara Pontes Franco (Graduanda em Ciência Biológicas)

Projetos/Linhas de Pesquisa
Ecologia de peixes de praias arenosas
Ecologia de peixes de costões rochosos
Impacto de poluição termal em costões rochosos
Ecologia de peixes estuarinos

Caracterização da àrea de Estudo

baia de sepetibaA Baía de Sepetiba localiza-se no Estado do Rio de Janeiro, entre as latitudes 22º54' e 23º04'S e as longitudes 43º34' e 44º10'W, com área de aproximadamente 450 km2. Apresenta forma alongada, limitando-se a Norte e a Leste pelo continente, ao Sul pela Restinga de Marambaia e a Oeste, pela Baía de Ilha Grande. Seu maior comprimento é de 43 Km no sentido este-oeste e sua maior largura é de 17 Km no sentido norte-sul, com perímetro de aproximadamente 123 Km. A bacia hidrográfica apresenta área aproximada de 1800 Km2.

Além das águas provenientes de suas sub-bacias hidrográficas, a baía recebe por transposição, uma contribuição significativa do Rio Paraíba do Sul, desviada pela LIGHT Serviços de Eletricidade S/A do curso principal deste rio à altura de Barra do Piraí, para seu Complexo de Usinas Hidroelétricas em Piraí-Fontes. Também deságuam na Baía de Sepetiba vários rios e canais de drenagem que diluem suas águas trazendo aluviões e efluentes diversos, todos no lado continental, e outros de menor contribuição, na Restinga.

Atualmente a Baía de Sepetiba encontra-se sob forte pressão antrópica, devido à expansão industrial e turística na região, que vem aumentando os contingentes populacionais em suas imediações, com a decorrente alteração ambiental causadas por efluentes urbano-industrial de fontes variadas e difusas, bem como pela alteração da paisagem. Isto reflete diretamente na qualidade ambiental, com influência direta na produtividade pesqueira e na qualidade de vida na área.

baia de sepetibaAtuação da UFRRJ através do LEP na Baía de Sepetiba


O laboratório de ecologia de peixes da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro vem desenvolvendo, desde 1983, pesquisas bioecológicas, através da amostragem das populações de peixes e tomadas de parâmetros ambientais, visando o diagnóstico, monitoramento e descrição da ecologia da área visando fornecer as bases para o ordenamento da pesca, o controle da qualidade do ambiente e a conservação dos recursos naturais.


baia de sepetiba

Objetivos

Existem padrões definidos de mudanças na estrutura das assembléias de peixes?
Estes padrões correspondem aos gradientes ambientais locais?
As ações antrópicas estariam influenciando na assembléia de peixes?
Como estão respondendo os principais grupos de peixes a eventuais mudanças do ambiente?


Objetivos Específicos

  • Descrever e comparar a composição, estrutura, dinâmica e diversidade da comunidade de peixes, seus padrões espaciais , sazonais e interanuais.
  • Abordar as configurações estruturais formadas a partir de como os componentes da comunidade de peixes se relacionam entre si e com o ambiente.
  • Estudar a ecologia dos grupos de peixes de importância comercial e ecológica, visando o ordenamento da pesca.
  • Analisar os hábitos alimentares das espécies mais abundantes visando a compreensão da ecologia trófica da comunidade de peixes.
  • Analisar biologia reprodutiva das principais espécies buscando conhecer a sua estratégia, bem como os períodos e locais de desova visando obter subsídios para uma exploração racional dos recursos

Equipe Executora
Prof. Dr. Francisco Gerson Araújo (Coordenador dos projetos)
Márcia Cristina Costa de Azevedo - Doutora em Biologia Animal
Antonio Gomes da Cruz Filho - Doutorando em Ciências Ambientais e Florestais
Ana Paula Penha Guedes - Doutora em Biologia Animal
Rafael Jardim Albieri - Doutorando em Biologia Animal
Ruan Managna Vasconcellos – Doutorando em Biologia Animal
Joaquim Neto de Souza Santos - Doutor em Biologia Animal
Débora de Souza Silva - Mestranda em Ciências Ambientais

Projetos/Linhas de Pesquisa
Ecologia de comunidades de peixes demersais
Ecologia de peixes de praias arenosas
Ecologia trófica/Alimentação
Ecologia de comunidades de praias arenosas
Biologia reprodutiva