Ano IV
Histórico

Histórico do PPGEduc

O Programa de Pós-Graduação em Educação, Contextos Contemporâneos e Demandas Populares (PPGEduc) iniciou-se em 2009 1. Em sua construção, dois Institutos da UFRRJ estão envolvidos e abrigam os respectivos departamentos e cursos de graduação que formularam o Projeto. O Instituto de Educação (IE), localizado no campus central da UFRRJ, em Seropédica, é constituído por três departamentos, que são: Departamento de Educação Física e Desportos (DEFD), Departamento de Psicologia (DPsi) e o Departamento de Teoria, Planejamento e Ensino (DTPE). Implantado na década de setenta do século passado, o Instituto de Educação vem se fortalecendo, através de um trabalho sistemático e de qualidade como unidade acadêmica, dando sustentação às práticas voltadas para diferentes licenciaturas. Ademais, passa a atuar, também, em atividades de pós-graduação.

O desafio de equiparar o desenvolvimento do Instituto de Educação sincronizando-o com o das demais áreas da UFRRJ é antigo e está presente desde sua criação. "Na nova estrutura da UFRRJ [1972], os Institutos de Ciências Sociais (ICS) e o de Educação (IE) foram os que enfrentaram os maiores desafios, pois não faziam parte das áreas tradicionais da Universidade” (OTRANTO, 2003, p. 87).

Se na década de 1970 o setor do ensino foi valorizado na instituição, na década de 1990, um grande número de professores do Instituto de Educação constatou a urgência, ou premência, de qualificar-se para acompanhar o perfil institucional que então se configurava com a exigência do grau de Doutor para a maior parte dos pesquisadores e passar a formar um corpo docente apto e hábil para produzir e divulgar conhecimentos a partir do ensino e da pesquisa em nível de pós-graduação. Vários de seus professores lançaram-se à tarefa.

Ao longo de sua existência, o Instituto de Educação (IE) tem atuado significativamente na Graduação e Pós-Graduação da UFRRJ. Na graduação oferece as disciplinas pedagógicas para todas as licenciaturas da UFRRJ: Biologia, Ciências Agrícolas, Economia Doméstica, Educação Física, Física, História, Química e Matemática. O IE possui duas licenciaturas sob sua responsabilidade: Licenciatura em Ciências Agrícolas e Pedagogia das Séries Iniciais.

Através de seus três departamentos o Instituto de Educação tem tido uma importante atuação e intervenção na Pós-Graduação na UFRRJ. Durante a década de 80 e até o início dos anos 90 foi oferecido o Curso de Especialização em Metodologia do Ensino Superior pelo DTPE. Em 1987 foi criada a disciplina Metodologia do Ensino Superior, com carga horária de 60 horas, oferecida, obrigatoriamente (Resolução nº 112, do CFE), aos cursos de Especialização e, optativamente, aos cursos de Mestrado e Doutorado. Essa disciplina sempre teve uma procura anual significativa, mesmo depois das modificações legais introduzidas nos cursos lato sensu, que tiraram o seu caráter obrigatório, e o reconhecimento de sua importância fez com que vários cursos a mantivessem em sua grade curricular. É uma disciplina de caráter teórico-metodológico, tem por finalidade subsidiar os pós-graduandos sobre a docência no Ensino Superior num amplo espectro. Tornou-se disciplina obrigatória para o curso de Mestrado em Zootecnia. Já o curso de Doutorado em Parasitologia Veterinária solicitou ao DTPE/IE a criação da disciplina Epistemologia e Ciência, de enfoque teórico, como obrigatória para o referido Curso, e que tem como intenção enfocar o problema da Epistemologia em diversas áreas de conhecimento.

Em 1997 a fundação do NEPPE (Núcleo de Estudos e Pesquisas em Política Educacional), atualmente um dos poucos grupos de pesquisa da UFRRJ cadastrados e certificados no diretório do CNPq, foi um impulsionador de investigações e inovações que têm sido continuamente divulgados em congressos científicos e em periódicos, nacionais e internacionais, da área de Educação e Ciências Sociais. A partir daí, em 1998, o DTPE/IE passou a oferecer o curso lato sensu Formação de Professores da Educação Básica: construção crítica do conhecimento. Trata-se de uma pós-graduação que visa a atualizar, prioritariamente, os professores das redes públicas de ensino sobre questões atuais da educação brasileira. Em setembro de 2003, iniciamos a terceira turma do curso, cuja demanda foi de 75 (setenta e cinco) candidatos. De igual modo, foi re-elaborado e desenvolvido o curso de Especialização em Metodologia do Ensino Superior, que objetivou aprimorar os conhecimentos de profissionais da educação para a docência no Ensino Superior.

Em parceria com o Centro de Estudos de Pessoal (CEP) do Departamento de Ensino e Pesquisa do Exército Brasileiro, o DTPE está implantando, com projeto iniciado em 2003 e aprovado pelo MEC (portaria nº 4056, de 23/12/2003), o curso de Especialização à Distância em Coordenação Pedagógica e o curso de Especialização à Distância em Psicopedagogia e Orientação Educacional. Os referidos cursos têm o objetivo de proporcionar uma qualificação profissional tanto aos integrantes dos quadros do Exército – oficiais militares – quanto aos civis em geral, que residem em regiões remotas do território nacional e com dificuldades de acesso às instituições de ensino.

O Departamento de Educação Física e Desportos (DEFD), na sua origem, foi responsável pela disciplina de Educação Física Curricular para todos os cursos da UFRRJ e pela gestão administrativa da praça esportiva da instituição. Em 1976, adquire outros contornos com a criação do Curso de Licenciatura em Educação Física, recebendo docentes para distintas áreas de formação, configuradas atualmente em Teoria da Educação Física, Teoria, Metodologia e Prática de diferentes práticas da cultura corporal de movimento e Ciências Biológicas. Embora classificado na área de Ciências da Saúde, o curso de educação física da UFRRJ, por vocação, desde sua criação, denota o perfil fortemente delineado e comprometido com a formação de profissionais para a atuação na área escolar. Não raro, grande parcela de formandos oriundos do curso recebe aprovação em concursos públicos. Nos últimos anos o DEFD vem investindo na capacitação de seus docentes e na contratação de novos professores com o mais alto nível de formação. Dispõe atualmente de cinco doutores – sendo um na área biomédica e três fortemente orientados para a pesquisa na área educacional e pedagógica; além de mais dois professores em fase de preparação para o curso do doutorado. De imediato, as duas vagas a serem preenchidas no DEFD, já foram aprovadas no departamento para o nível de professor adjunto. Além da graduação, nível em que conta com aproximadamente 600 alunos, há anos o DEFD vem ofererecendo seis cursos de pós-graduação em nível lato sensu, dentre os quais, dois de concepção educacional e pedagógica em “Esporte Escolar” e “Psicomotricidade na Escola”. Atualmente existe no DEFD o grupo de pesquisa em “Pedagogia da Educação Física e Esporte”, certificado pela UFRRJ e integrante do Diretório dos Grupos de Pesquisa do CNPq. Este grupo reúne os doutores do DEFD, mestres de outras instituições, professores da rede pública de ensino e alunos do curso graduação em educação física da UFRRJ e de outras instituições privadas de ensino. Dentre as linhas de pesquisa onde originam projetos apoiados por agências de fomento (CNPq, FAPERJ e UFRRJ) e concessão de bolsas de iniciação científica destacam-se: (a) análise do processo ensino-aprendizagem; (b) educação física e análise Sócio-Cultural; (c) estudos em educação física escolar, pluralidade cultural e gênero - LEEFEG; (d) estudos sobre a psicomotricidade no contexto sócio-antropológico. Visando contribuir para a operacionalização das atividades do grupo de pesquisa, foram criados dois laboratórios de pesquisa/estudos com estrutura física consolidada, a saber: Laboratório de Estudos em Educação Física Escolar e Pluralidade Cultural e Género – LEEFEG, e o Laboratório de Pedagogia de Educação Física – LAPEF. Os projetos em desenvolvimento são orientados para a pesquisa no “chão da escola”, refletindo e analisando evidências e implicações quer de vieses multiculturais presentes no processo educativo, quer voltando-se para a análise das relações estabelecidas no cotidiano escolar, quer de aspectos psico-sociais e epistemológicos da formação inicial e continuada sob a perspectiva da pesquisa-ação. Dentre os projetos que contam com apoio financeiro destacamos “Estereótipo e identidade de gênero no cotidiano escolar” (CNPq) ; “Concepções Pedagógicas e Desenvolvimento Curricular no Curso de Licenciatura em Educação Física” (FAPERJ); “Concepções Pedagógicas em Educação Física: uma análise das orientações de valores, da prática pedagógica e implicações na aprendizagem” (Programa de Grupos Emergentes – PAGE/UFRRJ), todos em desenvolvimento em diversos sistemas de ensino de áreas circunvizinhas à UFRRJ.

O Departamento de Psicologia do Instituto de Educação atua em todos os cursos de licenciatura da sede da UFRRJ, através do ensino de psicologia da educação, dinâmica de grupo e Psicologia das relações humanas. Seu trabalho no ensino se estende para os outros cursos de gradação, especialmente as engenharias, através da psicologia social. O corpo docente do departamento, com 90% de sua constituição de professores doutores, têm representação permanente na Sociedade Brasileira de Psicologia, Associação Brasileira do Ensino de Psicologia e Rede Latino Americana de Psicologia Ambiental, sendo

Na pesquisa e na extensão o Departamento de Psicologia participa dos programas de bolsas institucionais da UFRRJ e todos os docentes fazem parte de grupos de pesquisa cadastrados no CNPq, em equipes nacionais e internacionais. A atuação investigativa dos docentes é destacada nas áreas de representações sociais, qualidade de vida e bem-estar social, e, psicologia ambiental.

Atualmente o Departamento de Psicologia participa da implantação da Universidade Aberta a Terceira Idade, atuando junto à direção do Instituto de Educação. Em 2008 o Departamento de Psicologia oferecerá o curso de pós-graduação lato sensu em Psicologia Educacional, atendendo a demandas históricas das comunidades do entorno da sede da universidade e dos egressos dos cursos de graduação da UFRRJ.

O Instituto Multidisciplinar, criado em 2005, está localizado no campus do Município de Nova Iguaçu (IM), e é integrado por quatro departamentos. São eles: Departamento de Educação e Sociedade (DES), que agrupa professores que ministram a maioria das disciplinas de formação geral (área das Ciências Sociais e Humanas), comuns a todos os cursos, e as disciplinas específicas do curso de Pedagogia e/ou comuns aos cursos de Licenciatura; Departamento de Administração e Turismo (DAT) que agrupa os professores que ministram disciplinas especificas do curso de Administração e do curso de Turismo, incluindo as oferecidas como obrigatórias a outros cursos. O Departamento de História e Economia (DHE), por sua vez, agrupa os professores que ministram as disciplinas especificas do curso de História e do curso de Economia, inclusive as oferecidas como obrigatórias aos demais cursos. Já o Departamento de Tecnologias e Linguagens (DTL) agrupa os professores que ministram as disciplinas específicas de Línguas, do curso de Matemática e suas modalidades, inclusive as oferecidas para outros cursos, como Administração e Economia, as de Educação Matemática, Física e Computação.

Os cursos de nível superior implementados pela UFRRJ, no campus de Nova Iguaçu, visam atender a demanda de formação profissional e científica no âmbito da comunidade loco-regional e nacional, bem como as necessidades de desenvolvimento sócio-econômico-cultural dos municípios da Baixada Fluminense. Porém, os programas de formação devem reconhecer suas limitações temporais, preparar para experiências de integração social e oferecer condições para atualização constante. A valorização do egresso é importante para avaliar a consistência das ações da instituição. Este pensamento impulsionou projetos de criação de cursos de pós-graduação lato sensu em diversas áreas, a serem implantados no decorrer do ano de 2008.

O Instituto Multidisciplinar, construído em atenção à política de expansão das Instituições Federais de Ensino Superior (IFES), proposta pelo Ministério de Educação, é o décimo Instituto da UFRRJ e está em consonância com suas diretrizes que garantem a qualidade do ensino ministrado e a indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão.

Com vistas, principalmente, à instalação de uma instituição federal de ensino superior na Baixada Fluminense, o Instituto Multidisciplinar teve sua implantação em Nova Iguaçu aprovada, conforme consta na Deliberação número 32 do Conselho Universitário de 20 de julho de 2005, a qual confirmou o ato de criação de seus cursos aprovado pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão – CEPE (Deliberações de números 072 a 076 de 12/07/2005 e 077 de 14/07/2005).

O Instituto Multidisciplinar iniciou suas atividades no primeiro semestre de 2006, com 6 cursos: Administração, Economia, Licenciatura em História, Matemática (Licenciatura e Computacional), Pedagogia e Turismo.

Cabe destacar que um curso acadêmico prepara para o enfrentamento dos desafios colocados pela experiência da vida em sociedade. A formação universitária objetiva contribuir para a transformação social, a universalização da cidadania e a consolidação da democracia e do desenvolvimento da nação, propondo a superação das desigualdades e das injustiças sociais, através da renovação permanente de conhecimentos que viabilizem a reflexão sobre a realidade e o atendimento às demandas sócio-culturais. A Universidade abre campos de possibilidades para que os sujeitos realizem a participação crítica na realidade, com o emprego dos conhecimentos científico, tecnológico e artístico, otimizando as chances de uma intervenção contextualizada, promovendo a reflexão sobre os problemas que o cercam, considerando a complexidade das transformações históricas, e avaliando as repercussões diretas e indiretas do emprego de seu conhecimento profissional.

Tendo em vista que esta unidade acadêmica é multidisciplinar, os cursos que a constituem estão ancorados em um eixo norteador que permite realizar a aludida formação multidimensional e com qualidade social. Esse eixo sustenta-se no tripé sócio-antropológico, lingüístico e tecnológico. Assim, a partir das especificidades de cada curso e das suas exigências de formação, pode-se estabelecer uma base teórica-prática multi e interdisciplinar que confira ao Instituto Multidisciplinar (IM) a construção de uma identidade, firmemente ancorada em seus diferentes eixos, a saber, o Sócio-Antropológico, o Linguístico e o Tecnológico.

O eixo Sócio-antropológico constituído pelas áreas de Sociologia, Filosofia, Ciência Política, Antropologia e Educação, objetiva discutir as questões relacionadas à sociedade, à universidade e à produção do conhecimento, garantindo a construção de uma visão ampla, multi e interdisciplinar da sociedade. O eixo Lingüístico está constituído pelas áreas de Línguas Portuguesa e Estrangeira, objetivando estimular a produção textual dos alunos, bem como a aquisição de conhecimentos básicos de Línguas, de forma a permitir a ampliação das bases do discurso. O eixo Tecnológico compreende as áreas de Informática e Comunicação, objetivando preparar os alunos para o acesso e domínio de Tecnologias da Informação.

O Instituto Multidisciplinar nasceu, portanto, com a disposição de constituir-se em um espaço de produção de conhecimento, discussão e interlocução sobre a realidade loco-regional e nacional, afinada com projetos de inserção e transformação social.


O Programa de Pesquisa e Pós-Graduação como ação integradora da Pesquisa em “Educação, contextos contemporâneos de demandas populares” na UFRRJ


A proposta de criação do Mestrado em Educação, Contextos contemporâneos e Demandas populares, é apresentada pela UFRRJ, através de duas de suas unidades acadêmicas: o Instituto de Educação e o Instituto Multidisciplinar. É importante ressaltar que a UFRRJ é uma universidade aberta às demandas populares, principalmente no que tange à democratização do acesso ao ensino superior a parcelas da população historicamente excluídas. Primeiramente, pela oferta de vestibulares em praticamente todos os estados da federação, em cidades interioranas, mediante convênios com prefeituras municipais e escolas técnicas e agrotécnicas federais, o que vem garantido, há cerca de quatro décadas, que jovens de diferentes regiões brasileiras, muitos oriundos da zona rural, ingressem no ensino superior.

Mais do que realizar vestibulares em diferentes rincões do país, a UFRRJ garante estadia e alimentação gratuita aos estudantes comprovadamente sem condições para arcar com o seu sustento. A Universidade mantêm um Alojamento com capacidade para cerca de 1500 estudantes e um Restaurante Universitário. A instituição de bolsas de alimentação para os estudantes que comprovam a carência de recursos financeiros é uma política concreta de apoio á permanência destes estudantes na Universidade.

A UFRRJ desenvolve programas de extensão voltados para as demandas da população no que tange à educação e saúde, entre outras áreas. Cabe destacar que a UFRRJ, nos últimos anos, vem sendo contemplada com recursos do PROEXT/SESu/MEC para a implantação de programas de extensão, dos quais destacamos dois que visam especificamente o atendimento a demandas populares de inclusão: O primeiro desses programas é o RIEP - Redes Interdisciplinares em Espaços Populares - que atualmente desenvolve projetos de docentes dos Institutos de Educação (IE) e Multidisciplinar (IM). O segundo é um programa de Inclusão Digital e atende a uma demanda popular crescente, principalmente entre os jovens, população alvo também do primeiro programa.

Não podemos deixar de mencionar, visto que a maioria da população brasileira é constituída por afro-descendentes, principalmente as classes populares, predominantemente negras e mestiças, a existência e atuação do LEAFRO – Laboratório de Estudos Afro-brasileiros – NEAB da UFRRJ, que integra a rede nacional dos Núcleos de Estudos Afro-Brasileiros os quais existem na quase totalidade das universidades brasileiras.

É importante destacar que a existência de um Mestrado em Educação Agrícola não é conflitante com a proposta de criação do Mestrado em Educação, Contextos Contemporâneos e Demandas Populares, visto que os objetivos de formação são distintos, bem como o público-alvo e as áreas de concentração e linhas de pesquisa que os compõem. Diferentemente da anterior, a presente proposta se caracteriza por uma abordagem urbana, centrada nas demandas populares das periferias das metrópoles, mais especificamente da Baixada Fluminense, onde se situa geograficamente a UFRRJ, em seus campi de Seropédica e Nova Iguaçu. Em contraposição, a demanda do Mestrado em Educação Agrícola é voltada para a formação dos profissionais que atuam na rede federal de ensino profissional, mais especificamente das escolas agrotécnicas federais, e de uma demanda social interessada em pesquisar, de forma especial, a educação agrícola.

A atuação em pesquisa, ensino e extensão do corpo docente do Mestrado em Educação, Contextos Contemporâneos e Demandas Populares têm se caracterizado, nos últimos anos, por temáticas contemporâneas urbanas acerca do fenômeno educativo sob o prisma das demandas populares, principalmente da democratização do acesso à educação, da defesa da escola e da universidade públicas e da formação de professores para essa escola, no sentido de democratização do conhecimento crítico. As experiências com a pós-graduação lato sensu, como o curso Formação de professores da Educação Básica: construção crítica do conhecimento, promovido pelo DTPE/IE desde 1998, e os dois cursos de especialização oferecidos a partir de 2008, pelo DES/IM, visam à formação continuada dos professores das redes públicas mediante a pesquisa e a elaboração de monografias sobre seus resultados.

O foco principal do Programa e de Pesquisa e Pós-Graduação está na formação de pesquisadores em Educação de alto nível e comprometidos com demandas populares que emergem de diferentes contextos contemporâneos na Educação. Esse foco está centrado em indicações evidenciadas nas normas da CAPES, do CNPq e da FINEP e tem sido objeto dos diversos Programas de Pós-Graduação. Nesse sentido, a UFRRJ entende a criação da pós-graduação como campo estratégico de refinamento do conhecimento científico, o qual, em articulação aos setores produtivos locais e regionais que abrigam os egressos, contribuam igualmente na formação continuada e na construção e produção do conhecimento aplicado.

Na UFRRJ, a área da Educação vem sofrendo um incremento positivo de qualidade desde os anos setenta do século passado, seja através da capacitação do seu corpo docente, seja por sua atuação nas esferas do ensino, pesquisa e extensão da universidade. Dessa forma, ela vem criando condições para um novo e consistente programa pesquisa e Pós-Graduação, tão demandado pela região formada pela Baixada Fluminense.

Indubitavelmente, dentre os fatores que contribuem para a excelência e qualidade das atividades de um programa de pós-graduação stricto sensu consiste na concessão de bolsas de estudos a seus alunos. Responde, nos termos da Portaria 52/2007 – CAPES, pela fixação em tempo integral de alunos com destacado desempenho acadêmico. Proporciona condições ao alunado de se dedicar integralmente a sua formação acadêmica, permitindo a sua plena inserção nas atividades acadêmicas e de pesquisa fomentadas no curso. A UFRRJ, através Decanato de Pesquisa e Pós-graduação e as Unidades Acadêmicas envolvidas nesta proposta (IE e IM), mediante acordo institucional, propõem a subvenção de duas bolsas de estudos nos anos iniciais de vigência do Mestrado Acadêmico em Educação, Contextos Contemporâneos e Demandas Populares, em complemento à bolsa concedida pela CAPES aos novos programas. As bolsas serão conferidas em função do mérito e da relevância científica dos projetos, obedecendo-se à classificação final dos candidatos no processo seletivo e em conformidade com os critérios estabelecidos pela CAPES.


O Programa de Pós-Graduação em Educação, Contextos Contemporâneos e Demandas Populares (PPGEduc) iniciou-se em 2009. A primeira reunião do Colegiado aconteceu em 05/09/2008 no Instituto Multidisciplinar.

© 2009-2012 - PPGEDUC - UFRRJ | Créditos Coinfo
Desenvolvedor: Alexsandro C. Rabello
E-mail: coinfo@ufrrj.br